segunda-feira, agosto 8, 2022
spot_img
HomeEnergia RenovávelDanilo Forte é o cearense que mais trata do clima nas redes...

Danilo Forte é o cearense que mais trata do clima nas redes sociais

Levantamento publicado no site Congresso em Foco coloca o deputado federal também como o mais preocupado com o tema em seu partido

O deputado federal Danilo Forte (PSDB) foi o membro da bancada cearense na Câmara Federal que mais mostrou preocupação com o meio ambiente em suas redes sociais no ano passado. O levantamento, publicado na última segunda-feira (25) no site Congresso em Foco pelo ex-secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal André Lima, aponta o cearense com 23 menções ao tema, mais de dez vezes as menções feitas pela segunda cearense mais bem colocada, Luizianne Lins (PT). O levantamento considera postagens em Instagram, Facebook, Youtube e Twitter. Forte lidera não apenas entre os cearenses. Na bancada de 29 deputados do PSDB, da qual é vice-líder, o parlamentar também é o que mais trata do assunto. As menções de forte são mais do que o triplo do segundo tucano que mais trata do assunto, Vanderlei Macris (SP).

Forte, presidente da Frente Parlamentar de Energias Renováveis (FER), destaca que o uso das redes sociais é parte de seu esforço para destacar a importância do tema. Para ele, a discussão sobre o meio ambiente não está separada de outras pautas como economia, emprego e garantia de direitos. “A questão ambiental não será, ela já é um dos grandes temas – e um dos grandes desafios – do século XXI. A economia desse novo milênio será de baixo carbono ou não será. E o Brasil não pode desperdiçar o potencial que tem para liderar esse debate”, afirma o parlamentar.

De acordo com o levantamento, cerca de 40% dos 513 deputados federais trataram do assunto em suas redes sociais no ano passado. A pesquisa aponta que o tema ainda é tratado majoritariamente por parlamentares de centro-esquerda e de oposição, que respondem por 70% das menções. Entretanto, Forte aponta que o tema não deve ser tratado com colorações ideológicas. Ele diz que o assunto deve ser tratado com pragmatismo e diálogo. “A crise climática não tem coloração ideológica. Direita, esquerda, centro… Todos seremos afetados por um planeta com recursos esgotados. Por outro lado, todos – sejam apoiadores ou adversários do governo de plantão – temos a ganhar com uma economia verde, resistente aos humores do clima e geradora de empregos e renda, especialmente para as regiões e as pessoas mais pobres do País”, declara.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here